quinta-feira, 15 de maio de 2008

Cordeiro espetacular

Sábado foi um dia cinza, daqueles cheios de trabalho, pouca comida em casa e vontade nenhuma de fazer o que tem que ser feito. Definitivamente, um dia que você não contaria para os seus netos, se não fosse o almoço que decidi me dar de presente na tentativa de dar outra cor nesse dia desaturado.
Peguei uma revista, um caderno, uma bic velha e escolhi a melhor mesa do Empório Ravioli. Tudo para tentar agilizar o trabalho com alguma dignidade, já que se tratava de um final de semana em que a economia seguia com as garras cravadas na minha jugular. Depois de divagar em cima do cardápio com um dos bons e velhos garçons de lá, optei pelo Agnello Toscana, um cordeiro marinado no vinho branco, alecrim e especiarias, assado e servido com fettuccine no próprio molho do cordeiro e cebolas assadas. Quase pedi um punhado de milhos pra me ajoelhar enquanto comia, de tão bom. Super saboroso sem ser agressivo e pesado. A surpresa foi tão boa que pedi uma taça de vinho Santa Julia, um belo de um Malbec que, mesmo novo (2006), não deixou nada a desejar.
Não estou falando de um prato barato nem de uma refeição que se faz todo dia. Gastei R$ 93,00 no almoço, com suco de laranja, água, vinho e café, e valeu cada centavo. O ambiente é pra lá de agradável, os pratos super bem preparados e uma equipe que te atende bem e não enche o saco. Senhores que encaram ser garçom como uma profissão escolhida a dedo e isso é de se aplaudir em dias onde tem muitas empresas que decidem não investir no capital humano e gente que encara essa profissão como um bico até encontrar outra oportunidade.
Resumindo, o lugar é aconchegante, a comida é bem preparada e o pessoal manda muito bem nos serviços. Experimentem, pois vale a pena.
O Empório Ravioli fica na Fidêncio Ramos esquina com a Ramos Batista, na Vila Olímpia, e é coordenado pelo chef Roberto Ravioli. Vai, vai, vai.

3 comentários:

Douglas Téo disse...

Quinta, no feriado, decidi me dar um bom almoço de presente e acabei voltando no Empório Ravioli. Um livro na mão (Cartas na Rua, Bukowski) e vontade de ter um super almoço comigo mesmo. Entre as gargalhadas dos contos e um cálice de vinho, chegou o primeiro prato que pedi: um ravioli gigante recheado de ricota de búfala, espinafre, gema de ovos e manteiga tartufada. Um acontecimento de sabor numa porção ideal pra quem quer provar um prato sem sair pesado depois. O prato se chama "Sorpresa", pois quando corta o ravioli, as gemas estouram dentro e compõem um belo molho com o creme tartufado que é servido. Parece nojento esse papo das gemas, mas é genial, isso sim.
Decidi ter um almoço temático e pedi um "Assagio de polenta a la crema tartufata". Inacreditável. Saboroso e na medida pra que aquela explosão de sabor se tornasse inesquecível sem te saturar pela intensidade dos temperos.
Pra terminar, um tiramissu dos bons e um café espresso pra dar o toque no final.
Passei o dia feliz, lembando do sabor maravilhoso dos pratos que experimentei lá.
Não deixe de passar lá e se dar um presente gastronômico.

Andrea Cáceres disse...

muito bom... Parece que estou te ouvindo enquanto leio! Adorei. Não vejo a hora de que compartilhemos uma experiência gastronômica digna de que se transforme em post! Beijos.

Douglas Téo disse...

Ah, uma informação importante. Ontem, fui jantar com minha amiga acima (Mrs. Cáceres) e descobri que essa receita da gema é de 1464, do Chef Franco Colombani, de Milão. Deve ser por isso a sensação primitiva de se sentir um lagarto atacando um ninho. Um lado animal revelado, mas de maneira sofisticada.

(Tá bom, eu sou apoteótico).