terça-feira, 22 de abril de 2008

Frango com cerveja da Dona Lurdes!

Há algum tempo atrás, minha mãe me supreendeu com uma receita de frango com cerveja, a qual venho tentando aprimorar de tempo em tempo. Ontem, num digno almoço de domingo e bom papo com o amigo Gustavo e sua excelentíssima esposa Jaque, consegui fazer a melhor de todas as tentativas dessa receita e, por isso, decidi postá-la aqui.

Frango na cerveja

- Sobrecoxas de frango sem pele (eu fiz cerca de 1kg)
- 01 cebola picada
- Uns 07 dentes de alho picados
- Umas 04 colheres de salsa picada
- 02 tomates
- 02 latas de cerveja
- Sal (eu comecei a usar aquele que tem Aji-no-moto misturado e fica bom)
- Pimenta preta moída na hora
- Algumas folhas de louro
- Azeite extra-virgem

Lembrando que todos os ingredientes são uma quantidade média, porque sou o tipo de cara que cozinha pelo feeling.

Modo de preparo: Tempere o frango com sal, pimenta, todo aquele alho e umas folhinhas de louro. Esfregue os ingredientes nas coxas (de frango, claro... piadinha infame!), despeje uma lata de cerveja e as deixe marinar por uns 30 minutos. Pegue uma panela estilo "wok", frite as cebolas até elas quase queimarem (é bom deixar os tostadinhos tomarem conta), vá acomodando os pedaços de frango na panela e deixe dourar. Ele vai soltar um pouco de água, mas logo seca e começa a dourar tudo, deixando um cheiro incrível na cozinha. Quando tudo estiver super dourado (não permita que o frango fique sem cor. Nada é mais brochante que um frango meio pálido e meio cru), acrescente os tomates e, depois de uma leve refogada, acrescente aquela mistura de cerveja com alho que o frango tava dentro. Deixa cozinhar. A comida precisa de seu tempo, mais ou menos, como um filho. Você precisa ficar de olho, mas tem que deixar ele seguir seu caminho natural.
Veja se está bom de sal e deixe continuar o cozimento. Quando estiver quase seco, acrescente a outra lata de cerveja, pra que o frango cozinhe por mais tempo e ganhe mais sabor.
Quando estiver envolvido num molho cremoso (porém, líquido), acrescente a salsa, espere mais um pouco e tá pronto. Simples, simples.

Pra acompanhar, fiz uma polenta à moda antiga, feita no braço. Nada de Polentina pré-cozida! Pra fazer vai farinha de milho, água, sal, um toque de azeite, tomilho, louro e boa vontade pra ficar mexendo.

Servi o frango com a polenta e queijo parmesão, acompanhados de folhas de agrião. Tudo regado a um azeite inadreditável que trouxe da Itália, o Uliveti Stefanini.
Essa receita é uma delícia e fácil de preparar, porém, precisa de um pouco de tempo pra fazer as coisas acontecerem como devem. Não deixe de tentar!


3 comentários:

Gustavo disse...

Vale adcionar que eu levei o vinho (acho que italiano, novo demais e semi bom) dentro de minha recém adquirida Expert WineBox. Se trata de uma caixa de madeira para armazenar o vinho e também os aparatos para abri-lo e manusea-lo. Muito profissional para equiparar ao nível do preparo da receita e do azeite servidos.

Douglas Téo disse...

Bueno, vamos dizer que é uma baita de uma firula! heheheh No meu tempo de civilidade bruta (essa eu me puxei, vai), se arrancava a rolha (com os dentes, se preciso!) e era isso, mas depois que tirei a terra debaixo das unhas, o aparato caiu muito bem!
Mas, me deixe corrigir, o vinho era um Malbec de respeito. Tudo bem que tomamos uma cachaça de 45 anos (que desafia muitos uísques dos bons) pra fazer o abre-alas do vinho, mas convenhamos Gustavo, tava longe de ser semi bom.
Venham sempre! Tu, a Jaque e o aparato são mais do que bem-vindos.

danielafeoli disse...

dug, usei quatro, e nao duas latas de cerveja para meio quilo de sobrecoxas. fui colocando aos poucos a cerveja no frango e, enquanto esperava que o fogo fizesse seu trabalho, tomava deliciosamente, a grandes goles, a cerveja restante na lata. o frango ficou uma delícia e eu, bêbada.
:)